Clientes relatam problemas para sacar dinheiro do FGTS

 

Erros no cadastro barraram saques e até falta de dinheiro no caixa automático; alguns clientes reclamam que receberam valores menores do que tinham visto no saldo.

Muitas pessoas que enfrentaram filas na Caixa Econômica não conseguiram sacar o dinheiro das contas inativas do FGTS. Em todo o país, o G1 recebeu relatos de clientes que tiveram problemas, como:

 

Saque de valores abaixo do verificado nas consultas de saldo feitas na internet

 

Problemas no cadastro e em documentação

Falta de cédulas em caixas eletrônicos

Falhas na leitura de cartão nos caixas

A Caixa Econômica informou que até às 11h cerca de 300 mil pessoas tinham sacado o FGTS de 700 mil contas. Não há dados neste momento sobre o volume de atendimentos nas agências.

 

SAIBA TUDO SOBRE O FGTS DE CONTAS INATIVAS

 

Veja como foi o primeiro dia de saques por estado:

 

Marcelo da Silva, de Olinda, não conseguiu sacar FGTS devido a inconsistência nos dados (Foto: Pedro Alves/G1)

 

 

Valor menor que o esperado

O porteiro Deodato Silva, 27, de Maceió, falou que tinha mais de R$ 700 para receber, mas só conseguiu sacar R$ 130. “Fiz a consulta antes e esperava receber todo o valor, agora terei que ver como fazer porque já me programei para pagar contas com esse dinheiro”.

Silva foi orientado por funcionários a procurar a agência em outro dia da semana. “Fizeram uma consulta agora, dentro da agência, e não estão conseguindo ver a conta de uma empresa que trabalhei. Vou ter que voltar e espero que isso seja resolvido”, afirmou.

A balconista Grace de Oliveira, de 32 anos, de São Paulo, também conseguiu sacar apenas parte do valor que esperava. “Faltou uma parte. Eu trabalhava em uma empresa em 2005. Na minha carteira, deu baixa, mas no meu aplicativo [do FGTS] estava como conta ativa, só que eu não trabalho mais lá”, contou. Ela diz que foi, então, orientada a voltar à agência com cópias da carteira de trabalho e do RG para resolver a questão.

O frentista Jarlison Silva Pascoal, morador de Palmas, chegou à agência da Caixa e foi direto para o caixa eletrônico, mas não conseguiu fazer o saque. “Eu tinha olhado no aplicativo e vi que o valor era R$ 3.077, vim ao caixa e apareceu um valor bem menor, R$ 200”.

 

Problemas no cadastro

O mensageiro de laboratório Marcelo da Silva explica que chegou à agência de Bairro Novo, em Olinda (PE), por volta das 6h e passou cerca de 30 minutos para ser atendido, a partir do início do expediente da Caixa. Apesar disso, ele não conseguiu fazer o saque por uma inconsistência entre os dados do beneficiário e o cadastrado no sistema do FGTS.

“Não consegui fazer a consulta nem no site, porque sempre me informavam que o número do NIS estava errado. Vou ter que esperar até as 10h para poder voltar ao atendimento regular e mudar o cadastro, com o número correto”, disse Marcelo.

 

Problemas com documentos

Em Brasília, teve gente que não conseguiu sacar os inativos do FGTS porque as empresas contratantes não declararam a data da recisão do contrato. Nestes casos, é preciso levar o termo de recisão até uma agência da Caixa ou solicitar à empresa que informe ao banco a vigência do contrato.

Foi o caso do funcionário público Erlandyson Neves, de 38 anos, que tem R$ 780 no fundo. “Eu me lembro de assinar a recisão, mas não sei se tenho isso guardado”, contou. “Pior é que esse foi meu primeiro emprego, em 1997, em uma empresa do Maranhão.”

A mesma coisa aconteceu com o pedreiro Edson Alves, em Salvador. Ele disse que o dinheiro estava disponível, cerca de R$ 400, mas ao chegar no guichê de atendimento, o funcionário da Caixa informou que ele não poderia fazer o saque. “A empresa depositou, mas eu preciso trazer um documento de rescisão de contrato, porque aqui consta como se eu não tivesse sido demitido. Vou trazer o documento e venho”, disse.

A Caixa recomenda levar identidade, carteira de trabalho e o termo de recisão contratual. “O que mais acontece é ter o valor debitado, mas não a data de saída do trabalho”, afirmou um funcionário. “Como é muito mais moroso esperar que a empresa comprove a data do fim do trabalho, a Caixa pede que as pessoas tragam a rescisão.”

 

Erlandyson Neves não conseguiu sacar o FGTS porque a empresa não informou a data do fim do contrato (Foto: Luiza Garonce/G1 DF)

Sem dinheiro no caixa

O pedreiro André Carlos, de 36 anos, conversou com o chefe e conseguiu um intervalo na obra em que trabalha, na região da Paulista, em São Paulo, para sacar o FGTS. No caixa eletrônico da agência, porém, recebeu um papel com a mensagem de erro.

“Patrão autorizou e vim aqui para ver se conseguia pegar alguma coisa, mas não deu”, contou. Ele foi orientado a procurar atendimento dentro da agência para saber o motivo do erro, mas a fila o afastou. “Está muito grande e o horário é curto. Senão vou tomar bronca”, brincou antes de sair.

Em Curitiba, a supervisora de vendas Laudineia de Barros Vidal, de 33 anos, também não conseguiu sacar no caixa eletrônico. “Apareceu que o dinheiro não está disponível. Vou precisar voltar na hora do meu almoço”, contou.

Um funcionário da Caixa afirmou que, na maioria dos casos, a mensagem de erro aparece quando o caixa eletrônico já não possui cédulas suficientes para o pagamento.

 


O pedreiro André Carlos não conseguiu sacar porque o caixa eletrônico não tinha cédulas (Foto: Will Soares/G1 )

 

Falhas na leitura do cartão

Em Macapá, problemas com leitura do cartão nos caixas eletrônicos foram os mais relatados por clientes consultados pelo G1. O vendedor Ricardo Filho, de 27 anos, disse que tem quase R$ 500 para sacar, mas não consegue. “Eu vim para sacar mesmo, só que está dando falha na leitura do cartão nesses dois caixas. Para sacar eu vou ter que ir lá dentro, mas a fila está muito grande, acho que vou voltar só amanhã”, lamentou.

Compartilhe

Copyright © Canal de negócios online - Guia de empresas e serviços